Retomada de obras deve impulsionar emprego e renda no estado do PI

 Retomada de obras deve impulsionar emprego e renda no estado do PI

A retomada de obras no setor público e privado devem alavancar o emprego e renda no Estado. A matemática é simples: obra gera emprego a curto e médio-prazo para a construção civil e novos empreendimentos prontos geram emprego a médio e longo-prazo para as comunidades adjacentes. Um conglomerado de empresas, por exemplo, deve criar pelo menos 530 novos empregos em Teresina logo no início de 2021.

A expectativa é do arquiteto Ranieri Pierotti, que está à frente da construção da primeira unidade da Havan, uma loja multimarcas, em Teresina, na Avenida João XXIII. Ao lado, está sendo construída uma nova unidade do Mix Mateus, franquia já conhecida pelos teresinenses. “Só a Havan, com pessoal administrativo, deve criar 180 empregos. Juntando com o Mix Mateus serão 530, no total”, avalia.

A expectativa é positiva após um longo período de instabilidade. A unidade da rede de lojas era para ter sido instalada na cidade ainda em maio de 2020, mas a pandemia atrasou tudo. “Retomamos com força total e queremos terminar tudo até janeiro de 2021, criando emprego e renda”, avalia. Além das duas lojas na zona Leste, o Mix Mateus chega com mais quatro lojas espalhadas na cidade. O Assaí, outro gigante do setor, também terá uma nova filial em Teresina“Esperávamos uma retomada pior, mas agora nos falta mão de obra para tantos empreendimentos em construção. Hoje quem procura pedreiro para fazer uma casa dificilmente acha”, considera o arquiteto.

No entanto, Ranieri lembra que a pandemia ainda não acabou. “Não temos vacina. Não podemos abrir empreendimentos sem medidas de segurança. Por isso reforçamos as medidas de higiene pessoal para que não precisemos de medidas restritivas novamente”, alerta.

Obras devem ser concluídas em janeiro de 2020. Crédito: reprodução.

Governo investe em obras para alavancar a geração de renda 

O Pró-Piauí, programa do Governo Estadual, estabelece como deve ser a retomada da economia no âmbito estadual. Desta vez, os esforços estão concentrados na retomada de obras de infraestrutura que vão melhorar a vida das pessoas e impulsionar a economia com a criação de novas vagas de emprego.

É o que explica Leonardo Sobral, diretor geral do Instituto de Desenvolvimento do Piauí (Idepi). “Nós iniciamos o programa Pró-Piauí para investir em obras públicas no Estado. Liderado pelo governador Wellington Dias, esses investimentos objetivam atingir a população, melhorando a qualidade de vida e alavancando a economia. Nosso objetivo é tomar todos os cuidados. Foram definidas metas, como uso de máscara e isolamento. Esse foi o momento de retomada, a partir de um grande programa de investimentos”, afirma.

Leonardo Sobral, diretor geral do Instituto de Desenvolvimento do Piauí (Idepi)

As empreitadas devem melhorar o acesso a municípios do Estado. “São obras estruturantes. A rodovia que liga Brasileira até o Parque Nacional de Sete Cidades, que deve ser entregue em dezembro. Vamos fomentar o turismo da região com uma rodovia moderna e bem sinalizada. Além da rodovia que liga Bom Princípio a Cocal, outra via importante de 30 km no Norte do Estado. Em Avelino Lopes, extremo Sul, vamos beneficiar e desenvolver a economia do Sul do Piauí. A mobilidade urbana é importante, principalmente no interior do Estado, ao redor de centros urbanos. A maior demanda é calçamento, asfalto. No Pró-Piauí vamos ter projetos que atendam esse anseio”, exemplifica.

As barragens também receberão atenção especial. “Nós temos no Idepi um relatório com a situação das principais barragens do Piauí. Uma importante, entre Sebastião Barros e Corrente, a Atalaia, está com 80% concluída. Foram investidos R$ 12 milhões com emenda. Vamos terminar os residenciais e assentamentos para as pessoas que moram ao redor da barragem. Vamos beneficiar vários municípios com 230 milhões de m³. Queremos concluir no próximo ano”, acrescenta Sobral.

A retomada segue rigorosos protocolos de segurança. “As obras são fiscalizadas e nossos engenheiros, além da equipe técnica, cobram das empresas contratadas que obedeçam o regramento da Sesapi e do Ministério da Saúde. As obras seguem o que manda a legislação atual. Nós iniciamos o programa em meados de agosto e os recursos destinados às obras, esperamos finalizar tudo até 2022”, finaliza o diretor geral do Idepi.


Via Meio Norte

Digiqole ad

Matérias relacionadas