Guerra começou. Globo vai à Justiça contra o ‘arrogante’ Flamengo

 Guerra começou. Globo vai à Justiça contra o ‘arrogante’ Flamengo

Globo decidiu enfrentar de vez a rebeldia do Flamengo. Com liminar na Justiça

Começou a guerra jurídica entre Globo e Flamengo, pela transmissão dos jogos do clube como mandante no Carioca 2020.E, exatamente como o departamento jurídico havia avisado o presidente Rodolfo Landim, que aconteceria.A emissora entrou com uma liminar na 10ª Vara Cível do Rio de Janeiro.Nela, pede a tutela antecipada das partidas do Flamengo.

Alega ter os direitos dos demais clubes que disputam o Carioca e que os contratos foram feitos antes da publicação da Medida Provisória 984, que alterou a Lei Pelé.

A Globo classifica como ‘irresponsável’ a MP do presidente Jair Bolsonaro. E feita para ‘beneficiar aliados’, o Flamengo.

E a emissora exige multa de R$ 2 milhões, caso o clube se atreva a transmistir seu jogo contra o Boavista, marcado para o dia 1º de julho, no Maracanã.

“A Medida Provisória editada é assustadoramente inconstitucional. Custa a crer que tenha sido editada de forma tão irresponsável. Note-se bem: a discussão sobre a melhor forma de alocar os direitos de transmissão de um evento esportivo é legítima e precisa ser feita.

“O que não se pode admitir em ordenamentos jurídicos sérios é que isso se dê numa canetada para beneficiar aliados, sem qualquer debate sobre o tema. E muito menos que a nova legislação possa afetar contratos e atos jurídicos perfeitos anteriormente celebrados”, diz trecho da ação.Mas além de atacar Bolsonaro, a Globo enfrenta o seu mais tradicional aliado, o Flamengo.

“Não bastasse se escorar em sua popularidade para justificar a imposição de uma agenda que só interessa, na verdade, aos seus próprios interesses comerciais, o FLAMENGO (em letras maiúsculas) age com intolerável arrogância.

“Tomando para si o papel de porta-voz de inúmeros agentes impactados, direta ou indiretamente, pela abrupta alteração legislativa, sem que estes tenham tido direito a voz ou, sequer, a se prepararem para a abrupta mudança de uma regra que vige no país desde o início da transmissão comercial dos jogos de futebol em televisão, na década de 1970.”

Reprodução Sportv

Digiqole ad

Matérias relacionadas