Em prisão domiciliar, mulher é presa novamente por estelionato online no Piauí

 Em prisão domiciliar, mulher é presa novamente por estelionato online no Piauí

Seis pessoas, que não tiveram seus nomes informados, foram presas nesta quarta-feira (26) durante a operação Saldo Infinito: duas no Piauí, três no Ceará e uma no Rio de Janeiro. Entre os presos está uma mulher que já estava em prisão domiciliar, em Teresina, pelo mesmo crime: estelionato.

A investigação da Polícia Civil do Piauí descobriu que o grupo formava uma rede criminosa suspeita de roubar dados bancários online para fazer compras com cartão de crédito.

De acordo com o delegado Anchieta Nery, a mulher foi presa em 2019 e estava em prisão domiciliar desde então, por ter um filho. Em 2020, segundo o delegado, ela continuava cometendo os golpes de casa, pela internet.

Jovem roubava e vendia os dados das vítimas

Segundo a Polícia Civil, o homem preso no Rio de Janeiro, um rapaz de 19 anos, vendia os dados para golpistas no Ceará e Piauí. Ele conseguia roubar os dados das vítimas usando a internet, como números de cartões de crédito e informações pessoais.

“Ele criava sites falsos de grandes empresas oferecendo produtos a preços abaixo do mercado. Isso atraía as pessoas e elas imaginavam estar fazendo uma compra legítima, quando na verdade estavam fornecendo dados de seus cartões”, explicou o delegado Anchieta Nery, titular da Delegacia Regional de Crimes de Internet.

Vítimas em cinco estados

Os policiais da Delegacia de Crimes Virtuais, em Teresina, conseguiram identificar vítimas no Piauí, Ceará, Rio Grande do Sul, Paraná e Goiás.

Os dados furtados eram vendidos para os golpistas, que os usavam para clonar ou pedir a segunda via de cartões de crédito. Com os cartões, eles faziam compras de produtos pela internet ou no comércio local.

Criminosos experientes

Ainda segundo o delegado Anchieta Nery, entre os presos em Fortaleza há um homem que responde a vários processos por estelionatos cometidos no Piauí. “Ele se deslocou a Fortaleza talvez porque seria uma praça onde ele teria maior facilidade de praticar golpes”, comentou o delegado Anchieta.

Além dos crimes pela internet, o homem ainda é suspeito de cometer, junto com a namorada, fraudes em financiamentos bancários de veículos. A Polícia Civil do Ceará deve investigar esses crimes.

Fonte: G1 Piauí

Digiqole ad

Matérias relacionadas