Covid-19 no Piauí: pico de contágio será dia 21 de julho

 Covid-19 no Piauí: pico de contágio será dia 21 de julho

Durante coletiva na manhã desta quinta-feira (16), o prefeito de Teresina, Firmino Filho, destacou que, no Nordeste, o único Estado que está com crescimento de casos é o Piauí. Contudo, isso não se deve à Teresina, mas às cidades do interior do Estado. Ele comentou que a quantidade de óbitos na Capital, mas de pessoas que não residem aqui, tem crescido nas últimas duas semanas e isso mostra que o pico do Piauí, em termos de circulação do vírus, está próximo.

“Daqui a cinco dias será o pico do Piauí e o pico de óbitos será em torno do dia 10 de agosto, então temos de estar preparados, não somente os hospitais do interior, que tem baixa capacidade de resolução, mas também a nossa rede para atender essa eventual demanda que vem crescendo no interior do Estado”, disse.

Foto: Divulgação/PMT)

A pesquisa sorológica divulgada hoje mostra que a quantidade de óbitos de pessoas residentes em Teresina teve uma queda nas últimas duas semanas. Entre a semana epidemiológica 26 (SE26) e a SE27 houve uma queda de 3%, com uma redução de três óbitos. Entre a SE27 e a SE28 foram 10 óbitos a menos, o que representa uma queda de 12%. Até o momento, na SE29, foram contabilizados 47 óbitos. No total, Teresina já contabiliza 567 óbitos de pessoas residentes da capital

Taxa de ocupação de UTI continua acima e 70%

Os dados mostram que, apesar do aumento da ocupação dos leitos, tanto de UTIs como enfermaria, é possível ver uma estabilização nas últimas semanas. Entretanto, os números continuam acima de 70%, margem segura recomendada pelas organizações de saúde.

Dos 352 leitos Covid, 77,27% estão ocupados, o que corresponde a 272 leitos preenchidos e 80 leitos desocupados. “Não começou a cair ainda, mas existe uma certa estabilidade, mas buscamos a meta de 70%. Temos que estar preparados para qualquer eventualidade, especialmente com a reabertura da atividade econômica, por isso ela precisa ser gradual, sem excesso, mas eventualmente podemos ter o pico que vem do interior”, frisa.

Com relação às UTIs comuns, ou seja, que não são destinadas a atender pacientes com Covid-19, aumentou a quantidade de internações e, segundo o prefeito de Teresina, Firmino Filho, isso pode ter uma explicação. Dos 292 leitos, 209 estão ocupados, ou seja,  71,58%.

“Com a reabertura das atividades econômicas aumentou muito, em Teresina e no interior, a quantidade de acidentes de trânsito. No HUT, nós já passamos a ter muita dificuldade em atender essas urgências, apesar de grande parte do HUT e do HGV serem utilizadas para atender pacientes com Covid, serem uma retaguarda. Esse aumento da utilização das UTIs não Covid se deve à retomada da vida social mais agitada, que gera acidentes e isso tem começado a sobrecarregar os hospitais de urgência”, comenta o prefeito.

Sobre os leitos de enfermaria Covid, dos 592 leitos existentes, 420 estão ocupados, o que representa 70,95%, apresentando uma alta significativa em relação às semanas anteriores. Os leitos de UTI Covid do setor público também tem apresentado uma elevação considerável nas últimas semanas.

Dos 234 leitos existentes, 185 estão ocupados, ou seja, 79,06%. Já o setor privado teve uma queda nas últimas semanas. Dos 118 leitos disponibilizados, 87 estão ocupados, ou seja, 73,73% e 31 estão livres.

Via Portal O Dia

Digiqole ad

Matérias relacionadas